esqueci minha senha / primeiro acesso

notícias

20/06/2014

Sindijor sai na frente dos patrões com reajuste de 10%

Sindijor sai na frente dos patrões com reajuste de 10%

A Campanha Salarial 2014 dos jornalistas paranaenses está em momento decisivo. O Sindijor convocou os trabalhadores a participar da mesa de negociação na segunda-feira (23/06) e na assembleia na terça-feira (24/06). O Sindicato também vem divulgando o descaso das empresas de comunicação quando o assunto é cláusula econômica. Os patrões não só se negam a debater o item da Convenção Coletiva de Trabalho, mas também travaram a mesa de negociação. “Nossa postura é oposta às ações dos patrões. A pauta econômica é considerada de extrema importância para a entidade, por isso, antes mesmo de fechar acordo com as empresas, promovemos um reajuste de 10% para os funcionários”, explicou Maigue Gueths, diretora financeira do Sindicato. O reajuste de 10% abrange 4,84% da inflação somados a 5,16% de aumento real.


A data base dos jornalistas venceu dia 1º de maio e todo ano o Sindijor dá o aumento. “Bem diferente de algumas empresas, que acumulam passivo trabalhista neste período e depois precisam pagar retroativos aos trabalhadores; impactando na folha de pagamento”, completa Maigue Gueths. Para a direção da entidade, essa é mais uma das propostas cumprida pela chapa “Juntos Somos mais Fortes”. Em 2014, além do reajuste salarial, houve a reforma do telhado da Casa do Jornalista. No ano passado, os equipamentos dos funcionários foram melhorados, um computador foi disponibilizado para os sindicalizados e a fachada do prédio foi reformada.


INPC/IBGE: em abril foi divulgado o acumulado da inflação para os trabalhadores jornalistas, entre outubro de 2013 até abril de 2014, no valor de 4,84%. O número deve ser incorporado ao aumento real que será debatido em mesa de negociação com as empresas de comunicação do Paraná. Hoje, o Sindijor defende 8,46% - número que corresponde ao aumento real solicitado na pauta de reivindicação dos jornalistas.


Os 8,46% correspondem a desoneração dada pelo governo federal às empresas de comunicação. A medida reduziu os encargos sociais das empresas através da substituição da contribuição do INSS por um percentual sobre o faturamento. A proposta que o Sindijor irá levar a mesa de negociação é de um reajuste de 13,71% de aumento real (soma do INPC mais a desoneração). A próxima rodada de negociação esta marcada para segunda-feira (23/06). Inicialmente os patrões defenderam o piso diferenciado, que foi rejeitado de forma unânime pelos trabalhadores de todo o estado.


O panorama das negociações coletivas no Brasil caminha para índices de reajustes positivos para os trabalhadores, porém no Paraná, especificamente aos jornalistas, às empresas demonstram não ter interesse em dialogar com o trabalhador. “O panorama econômico (faturamento das empresas) apresenta melhora em diversos setores, inclusive no segmento da comunicação, mas isso não está sendo revertido ao trabalhador!”, explica Sandro Silva, economista do Dieese.


Faturamento: Ainda segundo os números do Dieese, com base nos dados do Projeto Inter-Meios, o faturamento dos meios de comunicação no Brasil (2004/2013) apresenta aumento de 191,22%. Em contrapartida os jornalistas paranaenses tiveram no mesmo período um reajuste que apenas repôs a inflação, um acumulado de 70,12%.


INPC: A população-objetivo do INPC abrange as famílias com rendimentos mensais compreendidos entre 1 (um) e 5 (cinco) salários-mínimos (aproximadamente 50% das famílias brasileiras), cujo chefe é assalariado em sua ocupação principal e residente nas áreas urbanas das regiões, qualquer que seja a fonte de rendimentos, e demais residentes nas áreas urbanas das regiões metropolitanas abrangidas.

Autor:Regis Luís Cardoso Fonte:SindijorPR