esqueci minha senha / primeiro acesso

notícias

30/06/2014

Após mais um impasse na negociação, jornalistas farão Assembleia no Sindijor

Após mais um impasse na negociação, jornalistas farão Assembleia no Sindijor
Mesa de negociação na manhã do dia 30 de junho entre patronais e Sindijor (*Regis L. Cardoso)

Esta noite (30), às 19h30, na sede do SindijorPR, os trabalhadores estão convocados para Assembleia. O objetivo deste encontro é avaliar o atual momento das negociações e definir os próximos passos da campanha salarial 2014


Agora embolou o meio de campo. A intransigência patronal já travou a negociação algumas vezes este ano, porém, nesta manhã (30), além de parar a negociação coletiva, os empresários paranaenses nem se quer trouxeram uma proposta! E o agravante: o patronal se recusa a discutir cláusulas que não sejam as econômicas. “Não é possível pensar numa negociação sem travar na cláusula econômica? Temos outros itens que não influenciam economicamente”, questionou na mesa de negociação Guilherme Carvalho, presidente do Sindijor, se referindo a itens presentes na Convenção Coletiva, como o estágio, o assédio moral e a segurança no trabalho.


A luta continua: os #jornalistasmobilizados farão assembleia hoje (30), às 19h30, na sede do SindijorPR, para avaliar o momento da negociação e definir os próximos passos da campanha. Toda a categoria está convocada. “Estamos querendo o aumento real, mas o patronal quer tirar o que já temos. Não tem como tirar o que conquistamos”, explicou Ayoub Hanna Ayoub, presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Norte do Paraná.


Mesa de negociação: durante o diálogo entre trabalhadores e empresários, o SindijorPR entregou o abaixo-assinado da categoria, em que os jornalistas paranaenses rechaçaram qualquer discussão relativa ao piso diferenciado. Jornalistas de todo o estado assinaram o documento entregue nesta manhã aos empresários. Quando se iniciou a discussão da diferenciação salarial, os #jornalistasmobilizados fizeram uma paralisação e se vestiram de preto e roxo para protestar (leia aqui).


E mais uma vez a negociação coletiva dos jornalistas encontra-se embolada. Isso devido ao próprio patronal estar dividido e não formular uma proposta objetiva para apresentar aos trabalhadores paranaenses. “A questão do piso trava a negociação. Queremos superar isso de alguma forma. O patronal está dividido, há uma grande dificuldade de chegar a um acordo. Precisamos de mais tempo”, explicou Carlos Roberto Santiago (advogado patronal).


Leia aqui notícias sobre a Campanha Salarial 2014.

Autor:Regis Luís Cardoso Fonte:SindijorPR