esqueci minha senha / primeiro acesso

notícias

28/04/2016

0% de reajuste é afronta a jornalistas

0% de reajuste é afronta a jornalistas
1ª mesa de negociação da Campanha Salarial 2016 - Foto: Silvia Valim

Reposição zero, nem mesmo a inflação. Essa é a proposta das empresas de comunicação para jornalistas do Paraná. O discurso da crise no mercado – utilizado na última década de negociações, e do momento econômico nacional voltou a dar o tom das justificativas patronais. Os sindicatos das empresas, Sert e Sindejor, apontaram que não pretendem oferecer qualquer valorização à categoria.


Com data base em 1º de maio, jornalistas e empresários realizaram hoje (28) a primeira mesa de negociação para renovar a Convenção Coletiva de Trabalho (CCT). SindijorPR e Sindicato dos Jornalistas do Norte do Paraná esperavam respostas às 24 reivindicações definidas em Plenária Estadual, entre elas o reajuste de 10%, acumulado entre maio de 2015 e abril de 2016. Nenhuma delas teve retorno dos sindicatos patronais. A mesa se restringiu ao debate sobre o congelamento do piso, sem qualquer avanço em outras pautas. Mesmo com a resistência quanto ao reajuste, jornalistas garantiram na mesa a data base. 

Na prática, a proposta de zerar o reajuste congela o piso salarial dos jornalistas. E com a atual CCT mantida existiriam riscos maiores. Sem cláusulas econômicas de valorização do piso, numa futura Convenção, a luta da categoria se voltaria a reconquistar a politica de reajuste salarial.


“Não podemos admitir esse retrocesso. Os jornalistas devem reagir a esse ataque. A valorização do piso é única forma de garantir o mínimo de respeito”, destaca o diretor-presidente do SindijorPR, Gustavo Vidal.


O SindijorPR deve convocar mobilizações em todo o estado para enfrentar a proposta patronal. “Não reajustar os salários é uma medida que precisa ser encarada como afronta pela categoria. Ela sabe o que se passa no dia a dia das redações para receber em troca esse desrespeito. Da mesma forma, só ela poderá mostrar aos empresários a sua força nesse momento, impedindo que o ataque a seus direitos avance”, ressalta Gustavo Vidal.


A segunda mesa de negociação está marcada para 19 de maio, às 14 horas, em Curitiba. Os sindicatos de jornalistas insistiram para que os empresários revissem a proposta de reajuste zero e que outras pautas sejam avaliadas.


#LutaJornalista

Fonte:SindijorPR