esqueci minha senha / primeiro acesso

notícias

22/10/2015

Dia 29 termina o prazo para enviar termo “Não Aceito” da reversão salarial

A taxa assistencial é definida pelos próprios jornalistas


Conforme previsão na CCT 2015/2016 (cláusula 50ª), os jornalistas que não quiserem contribuir com o SindijorPR devem encaminhar até o dia 29 o termo “Não aceito” da reversão salarial. Os jornalistas devem levar o documento assinado à sede do SindijorPR (Rua José Loureiro, 211 - Praça Carlos Gomes) durante o horário de funcionamento do Sindicato, das 09h às 18h.


A taxa assistencial é definida pelos próprios jornalistas para que retorne ao Sindicato recursos financeiros investidos durante a campanha salarial. São duas parcelas de 2% cada, uma no mês de fechamento da convenção, neste caso outubro, e outra em dezembro.


A contribuição não é obrigatória, assim é garantido aos profissionais, sindicalizados ou não, o prazo de 10 dias para solicitar ao Sindicato o não desconto da reversão.


O SindijorPR reforça a sua posição de acabar com a reversão salarial, assim como a contribuição confederativa, e contrária ao Imposto Sindical. Para o Sindicato, a legislação deve ser alterada para que se criem mecanismos, como a contribuição negocial (sempre ao fim das negociações), de manutenção dos sindicatos, além das mensalidades, em substituição ao Imposto Sindical e a contribuição confederativa.


Todos os anos a Direção do SindijorPR define estratégias para que o número de sindicalizados aumente. Isso permitiria o fim de algumas arrecadações, como a reversão, já que o Sindicato teria recursos das mensalidades para manter a luta da categoria. Por enquanto, o Sindicato ainda depende desse repasse financeiro, já que sem ele não poderia estruturar as campanhas salariais.



Desde 2012, o SindijorPR devolve a sua parte do Imposto Sindical aos jornalistas sindicalizados. “Defendemos o fim dessas taxas obrigatórias, que infringem a liberdade de associação e mantém sindicatos de fachada, apenas para arrecadar recursos dos trabalhadores e perpetuar pessoas em entidades fantasmas”, destaca o diretor-presidente do SindijorPR, Gustavo Henrique Vidal.


O SindijorPR também planeja uma campanha permanente de conscientização e sindicalização de jornalistas. O Sindicato precisa ser forte, além da sua base, na sua estrutura. “Não há como enfrentar empresários por mais direitos sem recursos financeiros. A sindicalização, nesse sentido, traz dois benefícios aos jornalistas: fortalece o Sindicato e põe fim aos demais descontos”, conclui Gustavo.

Autor:Comunicação SindijorPR