esqueci minha senha / primeiro acesso

notícias

01/10/2015

Carta coletiva em apoio ao Sindicato dos Jornalistas do Município do RJ

Apoio total ao Sindicato dos Jornalistas do Município do RJ!

De um lado um enorme conglomerado empresarial, com faturamento anual da ordem de R$ 16 bilhões, pertencente a uma das mais ricas famílias brasileiras: o Grupo Globo.

De outro lado uma pequena entidade sindical de trabalhadores, tentando a duras penas organizar a categoria frente à brutal onda de demissões, ao assédio moral coletivo, à fortíssima influência dos patrões: o Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Município do Rio de Janeiro (SJPMRJ).

Acostumado a mandar no país, o Grupo Globo habituou-se a dificultar, ao longo de décadas, as mobilizações de jornalistas por melhores salários nas duas principais “praças” em que está sediado: Rio de Janeiro e São Paulo.

Depois que uma gestão combativa tomou posse no SJPMRJ, deixando claro que levaria a sério o mandato recebido da categoria, o Grupo Globo tratou de estimular campanhas de desgaste da entidade. Foi assim após a trágica morte do repórter-cinematográfico Santiago Andrade, da TV Bandeirantes, em fevereiro de 2014, quando o SJPMRJ tornou-se alvo de ataques gratuitos e ferozes, baseados em falsos relatos.

As hostilidades, incentivadas também, oportunisticamente, por ex-diretores da entidade, tinham a aberta finalidade de destituir a nova direção, empossada havia poucos meses!


E no presente momento, em razão da data-base de 2015 do segmento de rádio e televisão, mais uma vez o SJPMRJ vem sendo alvo de uma intensa onda de mentiras e calúnias, disseminadas com a nítida intenção de abalar a direção da entidade, minar a confiança dos jornalistas nas lideranças da categoria e, “por tabela”, favorecer os patrões.

Tudo isso é muito útil aos proprietários do Grupo Globo, pois desvia a atenção de fatos que, estes sim, deveriam ser objeto do interesse da nossa categoria: 1) a inaceitável demissão em massa praticada em 2015 no jornal O Globo e na InfoGlobo; e 2) a ascensão de João Roberto Marinho, José Roberto Marinho e Roberto Irineu Marinho à quinta posição entre os bilionários brasileiros, cada um deles possuindo fortuna pessoal estimada em R$ 23,8 bilhões, segundo a insuspeita revista Forbes.

Estamos assistindo a um embate desigual entre o principal grupo oligopolista da mídia brasileira e um pequeno sindicato municipal cuja arrecadação mensal mal consegue pagar seu custeio.

Um conflito desproporcional que reflete em escala local os impasses da sociedade brasileira, na qual o Grupo Globo assumiu um poder único e peculiar, arvorando-se a forjar consensos, ditar regras, eleger e apear governantes, bloquear políticas públicas progressistas, em suma: determinar o que pode e o que não pode.

Por tudo isso, convidamos todos os movimentos sociais, todas as entidades populares e o conjunto do movimento sindical combativo a cerrarem fileiras em defesa do SJPMRJ e contra aqueles que procuram desgastar e enfraquecer a entidade de representação dos jornalistas cariocas.

Por fim, exortamos a Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) a tomar posição clara e determinada em apoio ao SJPMRJ, repelindo assim os ataques patronais.


30 de setembro de 2015
Movimento Luta,Fenaj!


Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná
Autor:Movimento Luta, Fenaj