esqueci minha senha / primeiro acesso

ARTIGOS

Autor: Jornaldo
18/03/2015

Sindijorzão e seu futebol inconsequente

Sindijorzão e seu futebol inconsequente

Olá amigos do Sindijorzão. Vamos direto ao assunto. Muito se esperou da 3ª rodada do Torneio e ela realmente foi especial. Isso porque, muitas vezes, o futebol nos reserva algumas inconsequências por parte dos praticantes. Podemos dizer que são atos falhos. E gol da Confraria.


Por exemplo: O que dizer da mão na bola do Adriano Rattmann na partida contra o Catedão? Ele tentou enganar a arbitragem jogando vôlei? Cartão amarelo justo. Depois o figura fica fora das finais por suspensão e reclama da arbitragem. E gol da Confraria.


Algumas jogadas também acontecem por acaso. Como as duas trombadas do Regis, do Sensacionalistas. Uma pancada foi no Silvio Rauth e outra no Fernando César Oliveira, ambos do Refugos. O primeiro “choque” tirou Silvio, por alguns minutos, do jogo. Depois, ao abrir os braços, o jogador do Sensacionalistas atingiu o queixo do Fernando. Ambas não foram faltas... foram atos falhos. E gol da Confraria.


Na mesma partida, Vinicius Boreki e Jonathan Murpf exageraram na dividida e o clima ficou um pouco tenso. O árbitro mandou os dois pra rua. Acho que dessa vez os atos falhos foram dos três: dos jogadores pela força desnecessária, até porque a partida estava 9 a 0 para o Sensacionalistas; e também do juiz do jogo, que poderia amarelar para os dois ao invés da expulsão. E gol da Confraria.


Preciso lembrar também que, ainda no Sensacionalistas x Refugos, a lenda do Sindijorzão, Emerson Castro, fez sua despedida das quadras! Segundo ele, é para o bem do futebol. E esse marco no Torneio foi coroado com nada mais nada menos que mais um cartão... vermelho? Na hora ninguém entendeu nada, mas tudo não passou de uma ‘expulsão’ simbólica. O fato foi notícia na mídia internacional (veja nos links:1,2,3,4,5). E gol da Confraria.


E já que estamos falando em ato falho, quem é que fica mais famoso pelas falhas? Lógico, os goleiros.


O time do Catadão que o diga. Primeiro o goleiro titular, Danilo, foi pra noite e encontrava-se sem condições de jogo. Aí, como alternativa, cogitaram colocar o Falavinha, que faz goleiro linha. Porém, o mesmo comprometeu negativamente o resultado do time na semana passada, logo rechaçaram esta opção. Foi aí que os deuses do futebol agiram. A vítima: Caio Derosso. O ‘escolhido’, no auge dos seus 30 anos, foi para o jogo e fez bonito. O cara fechou o gol. Conclusão? Há ato falho que dá certo. E gol da Confraria.


Márcio Miranda, do Che, o craque da rodada passada, quis dar uma de Falavinha e jogar de goleiro linha pra resolver a parada para seu time contra o Jornalimorreu, tomou gol por cobertura e ainda levou amarelo por tentar defender com a mão fora da área. Eu não deveria ter falado dele na última semana, subiu pra cabeça, já acha que é estrela. E gol da Confraria.


Agora veja essa atitude, não sei se foi exatamente um ato falho. A Arfoc contratou o polêmico Leonardo Bessa e na 3ª rodada ele fez sua estreia. Este jogador é conhecido como “o grande” corneta do Torneio. E na sua primeira partida pude observar alguns lances durante o confronto Arfoc x Restos do Mundo. E gol da Confraria.


O que eu vi? Bom, destaco uma jogada inusitada. Bessa teve a ‘brilhante’ sacada de jogar, propositalmente é claro, uma garrafa de Gatorade na quadra. Fez com que seus adversários escorregassem e seu time tirasse vantagem da situação. E gol da Confraria.


Ah sim! Quase esqueci. Depois do jogo encontrei-o nas proximidades do bar da Stark e ele questionou-me se eu havia gostado do seu golaço. E gol da Confraria.


“Viu meu golaço?” – “Não” – “Não? Mas como não? Você não viu quando corri com a bola dominada pela ala esquerda, pedalei na cara do adversário e mandei no ângulo?”- “Não” – “Você só pode estar de brincadeira” – “Desculpe, perdi esse lance”. E gol da Confraria.


Mas e as tão esperadas partidas do Grupo da Morte?


Observem essa incoerência do destino: o Jornalismorreu está cada vez mais vivo! Já o Che Garotos... bom, morreu na praia e nem chegou a começar uma revolução no Torneio. Isso que o time “da morte” estava desfalcado do titular Juba. Mesmo assim o Che não soube aproveitar. Outro detalhe, o Kássio mais uma vez desequilibrou. Adios Che! No outro jogo o Catadão abriu logo 4 a 0 no Ace/Coxa, mas os “garotos do Rattmann” quase buscaram o empate, pararam no 4 a 3. E gol da Confraria.


E o Jotão ein? O que dizer? O time fez feio dessa vez: W.O! Vitória do atual campeão, o Relevo. Foi uma pena ver apenas três atletas do Jotão em quadra, abalados pelo abandono. Dessa forma, só teremos Denilsonshow na edição do ano que vem, depois que os desertores pagarem as cestas básicas. E que fique claro uma coisa: isso aí não é um ato falho, é uma sacanagem mesmo. E gol da Confraria.


Já pelas partidas no feminino, o time das Arsênicas está 100%! Sem ato falho, só vitória. A jogadora Tangriane, por exemplo, marcou 4 dos 5 gols na última rodada. Mas se for falar em ato falho, o título no feminino vai para As Sensacionalistas. E o culpado, claro, é o treinador Hendryo André, principalmente porque teve a cara de pau de colocar uma atleta pra jogar 15 segundos. É mole isso? Mas mesmo assim, As Sensacionalistas seguem sendo o time mais divertido do campeonato. Outro time que vem bem para o 2º turno do Torneio é a Bandnets. As meninas atropelaram a Dasjor/Gazeta (5 a 0). O negócio é aguardar a próxima rodada meus camaradas... E gol da Confraria.


Também gostaria de dizer que o goleiro do Sensacionalistas, o senhor Roger Pereira, andou falando que seu time iria aplicar a maior goleada do Torneio no time do Refugos. A certeza da goleada era tanta que o camarada estava bebendo antes mesmo do seu jogo começar. Mas não foi o que aconteceu. O primeiro tempo acabou 2 a 0. O resultado final foi 9 a 0, tudo bem que a parte dele ele fez, mesmo bêbado, não tomou gol, mas ficou bem longe da promessa e nem chegou perto do que fez o time da Confraria. Esse sim fez bonito. Ato falho do Rogito Diná. E gol da Confraria.


E mais um gol da Confraria contra Os Tranqueira, esse que usa do ato falho para se promover. Faz marketing. Eles entraram em quadra dispostos a bater alguns recordes, e conseguiram. Depois de tomar 17 gols na semana passada, desta vez tomaram 20! Sim, 20. E gol da Confraria.


E para finalizar, não é só Os Tranqueira que utlizam do ato falho para se promover. O Refugos conseguiu a marca inédita de não ter tomado mais de 10 gols em nenhum jogo do Sindijorzão2015. Parabéns!


É isso aí galera, obrigado, pela atenção. E enquanto você lia, mais quatro gols da Confraria.

Articulista: Jornaldo
Jornalista renomado internacionalmente. Colabora como comentarista do Sindijorzão - Torneio de Futsal do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná.