esqueci minha senha / primeiro acesso

notícias

19/05/2020

SindijorPR se solidariza à jornalista demitida por fazer jornalismo

SindijorPR se solidariza à jornalista demitida por fazer jornalismo
Foto: Reprodução/Facebook
O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná (SindijorPR) se solidariza à jornalista Mareli Martins que, após seis anos de serviços prestados à Rádio T em Ponta Grossa, foi desligada das suas atividades profissionais nesta segunda-feira (18) por razões vinculadas ao reflexo do seu trabalho no âmbito político. Além de Mareli, a mesma emissora também demitiu outras jornalistas ainda neste mês. 


Mareli é reconhecida pela prática de jornalismo independente e em mais de uma ocasião recebeu apoio do Sindijor após ter sofrido represálias em decorrência de seu exercício profissional. O Sindicato lamenta que, mais uma vez, o direito à informação seja soterrado por questões alheias ao interesse público. Ao Sindijor, a profissional declarou que vinha enfrentando muitas dificuldades para continuar atuando no jornalismo da emissora. “Me disseram com todas as letras que eu fui demitida por causa das verbas de publicidade que entraram na rádio e que se eu continuasse no ar, eles iriam perder esse dinheiro. Não vou dizer que estou surpresa porque isso vinha se construindo há muito tempo. Mas estou feliz por um lado, por eu não ter cedido, por eu não ter me vendido. Acho que isso é o que vai marcar a minha história”. 


Confira aqui a íntegra da manifestação de Mareli a respeito de sua demissão.


Mais demissões 


O SindijorPR apurou que a mesma emissora demitiu outras duas jornalistas ainda em maio e, em razão disso, também se solidariza às profissionais Maiara Clausen e Bhya Amabylle Zarpelon. É lamentável que a despeito de o jornalismo ser considerado como uma atividade essencial no atual contexto de pandemia, tantos jornalistas estejam sendo penalizados e desligados de suas funções, tão relevantes para a sociedade. 


O Sindicato já colocou a sua estrutura de atendimento, inclusive jurídica, à disposição das profissionais


Texto editado em 20/05/2020
Autor:SindijorPR