esqueci minha senha / primeiro acesso

notícias

25/05/2017

Patrões sinalizam com pagamento da inflação, mas não falam do retroativo de 2016

Patrões sinalizam com pagamento da inflação, mas não falam do retroativo de 2016
Foto: Flávio Augusto Laginski
O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná (SindijorPR) e o Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Norte do Paraná receberam nesta quinta-feira (25) representantes dos sindicatos patronais para mais uma mesa de negociação. Desta vez, a oferta dos empresários prevê o pagamento total da inflação do período, de 3,99% até a folha do mês de setembro, com retroativo para maio.


Contudo, os patrões seguem sem propor a reposição do retroativo de 2016, mantendo perdas salariais à categoria. Em 2016, em uma negociação que se arrastou por seis meses, os empresários aceitaram pagar a inflação do período, parcelada em duas vezes, sem que o retroativo deste período fosse pago. Sem um reajuste além da inflação, o jornalista não consegue a reposição do que perdeu em 2016.


Os patrões aceitaram a cláusula da licença-maternidade pelo período de 180 dias, estendendo também para as mães jornalistas que oficializarem a adoção.


O diretor-presidente do SindijorPR, Gustavo Vidal, acredita que a proposta ainda não contempla os anseios da categoria. “Embora tenhamos avançado em relação à mesa passada, ainda não estamos satisfeitos com a oferta patronal. É preciso que o jornalista seja valorizado e precisamos também recuperar as perdas da negociação do ano passado. Mais uma vez é preciso união de todos para que nossos direitos sejam ampliados”, resume.


O vice-presidente do sindicato do Norte do Paraná, Fábio Galiotto, afirma que é preciso que os patrões considerem o contexto de perdas da categoria. “Deixamos de receber mais de R$ 2 mil retroativos no ano passado e é preciso que proponham um aumento real ou um abono como contrapartida neste ano”, avalia.
Autor:Flávio Augusto Laginski Fonte:SindijorPR