esqueci minha senha / primeiro acesso

notícias

27/03/2014

De Frente com Jornaldo : Agora é decisão, “nunca errei um palpite”

De Frente com Jornaldo : Agora é decisão, “nunca errei um palpite”

Olá meu caros... está começando mais um De Frente com Jornaldo. E hoje o negócio é falar dos confrontos decisivos do próximo domingo, dia 30 de março. A Copa Jacquet Sindijor caminha para as rodadas finais, os atletas estão mais apreensivos e concentrados.


E toda essa pressão entra em quadra também. A tendência é que as partidas fiquem mais disputadas, afinal... agora é mata mata... não é Jornaldo?


“Oi? Pois não?”


Peguei o Jornaldo distraído aqui (rs)...


Vai começar logo cedo a encher?


Deixa disso, foi só uma quebra de protocolo...


Se achou o subversivo agora né, com essa “quebra” de protocolo...


Ok... ok... seguimos com o futsal. Bom Jornaldo, a última rodada foi movimenta dentro e fora de quadra. Inclusive já temos um time na final. Sim! As meninas da Bandnets. Agora é decisão né?


Claro. E olha que interessante. Andei lendo alguns comentários lá no grupo do torneio no face...


Hum... anda todo moderno ein...


Moderno não, apenas um velho “high tech”. Bom... voltando, já que você me interrompeu... como sempre. A final feminina normalmente era decidida entre Imprensa Esportiva e o time da Gazeta, nesta edição a Bandnets quebrou esse tabu e foram campeãs do primeiro turno, garantindo vaga na final do dia 12.


E quem você destaca nessa equipe da Bandnets Jornaldo?


Olha, assim como em outras edições, destaco a Vanessa, artilheira! Nos outros anos sua equipe não disputou a partida decisiva, dessa vez o time dela chega com certo favoritismo. Mas é esperar pra ver. Ainda tem o segundo turno pra ver quem enfrenta a Bandnets.


Algum palpite entre Che Gurias, Gazeta ou Imprensa Esportiva pra fazer a final no feminino?


Não, nenhum palpite.


Nossa, tá certo, tinha esquecido que você não é a “Mãe Diná”...


É, mais atenção com o que eu digo. Faz mais de meio século que estou na crônica esportiva e nunca errei um palpite.


Até porque não faz. Tudo isso é medo?


Medo? Olha aqui seu...


Calma Jornaldo. Estou brincando. Vamos falar das quartas de final?


Falar o que! Nem aconteceu ainda.


Ok Jornaldo, está difícil hoje ein... podemos falar um pouco de futsal?


Claro. É só fazer uma pergunta relevante que eu respondo. Ou você quer que eu faça autopropaganda da minha índole, como alguns andam fazendo por aí... sabe como é né... propaganda já tem lá seus exageros... e autopropaganda então... o que dizer...


É... sem comentários...


Imagine um comentarista esportivo desses num torneio feminino...


Ah... não quero nem imaginar...


Então imagine você jogando um torneio feminino...


Hã?


Tem preconceito?


Não... mas o que uma coisa tem a ver com a outra...


Sei lá... talvez por um mundo menos machista!


Confesso que a ideia é bacana...


Qual ideia... você jogar um torneio feminino?


Não Jornaldo, o lance do “mundo menos machista”.


O que é que tem?


Os jogadores de jogadoras e as jogadoras de jogadores...


Mas amigo... o uniforme já é parecido. Só se os jogadores usarem maquiagem e as jogadoras colocarem barbas postiças. Aliás... como o número de carecas é alto entre os jogadores, talvez tenhamos problemas para arrumar tanta peruca...


É verdade. Por falar em peruca, o “cabeludo das quadras” não para mais de fazer gols!


Pois é... o tal do Daniel já está com 22. É uma disputa meio estranha. Ano passado o artilheiro foi um careca, agora tudo caminha pra que um cabeludo assuma o posto.


Mas tem gente correndo por fora. Teve jogador que fez 10... sim... 10 gols numa partida...


Sim... o Samuel do Sensacionalistas. É um novo recorde do torneio. A disputa está bacana.


E nessa mesma partida o Sensacionalistas meteu 24 a 2 no Jotão!


Nesse jogo o que mais me chamou a atenção não foi a goleada, mas sim a ausência de falta na partida. Sim... zero faltas. O juiz quase nem assoprou o apito. E por falar em juiz... acho que está na hora do Sindijor começar e cuidar de alguns casos em parceria com a justiça...


Como assim Jornaldo, não entendi nada agora...


Calma jovem... eu explico. Sempre eu. Ai ai. Bom, lá vamos nós. Seguinte: o tal do Valkiller anda dando o que falar no torneio. Primeiro deu o que falar dentro de quadra. Depois quase aposentou o goleiro Roger Campos com um chute tão forte que chegou a quebrar o dedo do atleta (inclusive o levando ao hospital). Porém... ah... porém... este senhor apelou...


Aé... o que ele fez Jornaldo?


A prática da mala branca.


Sério? Explique isso melhor Jornaldo... desenvolva... desenrole...


É bem simples. Depois de perder pro Che Garotos, a equipe da Arfoc estava com chances remotas de classificação. Então o que Valkiller fez? Apelou pra mala branca. Ofereceu um engradado de cerveja para o time da Ace/Gazeta golear o Sem Titulo, assim a Arfoc teria a última vaga nas quartas de final.


E qual o problema? O que a justiça tem a ver com isso?


É um crime oferecer só um engradado de cerveja aos jornalistas. Chamem os delegados! Esse Valkiller é um fanfarrão. Aí depois ficou lá, roendo as unhas e secando o Sem Título. Pra sorte dos atletas da Gazeta, que venceram por 9 a 1, o “mestre cervejeiro” cumpriu com o acordo e deixou todo mundo bêbado. Já era passado das 16 horas quando saí e lá estavam os jornalistas tomando a mala branca espumante.


Mais uma vez vou perguntar isso pra você Jornaldo: você tem algum destaque positivo? No outro programa foi a mesma coisa, você só desceu o pau na rapaziada...


Não desci o pau em ninguém rapaz. Aliás, quem desceu o pau, novamente, foi o craque Soroca. Mais uma vez vou repetir isso, jogador experiente faz a diferença. Meu amigo, esse atleta do Che Garotos mandou um sem-pulo do campo de defesa e marcou um golaço. Mandou um tubo na gaveta. Outra coisa: não fico descendo o pau em ninguém e meus destaques são destaques. Uns positivos outros não. Ora, falei dos artilheiros, da Bandnets... como você inventa história ein amiguinho...


Tudo bem Jornaldo. Olha só... na semana passada falou-se muito que poderia acontecer mais alguns W.O´s nas partidas. Coisa que não aconteceu não é?


É verdade, temos o dever de parabenizar as equipes do Jotão, Refugos, Resto do Mundo e Pracabá Online, pois mesmo sem chance de classificação, compareceram. Esse é o espírito. Até porque, no final das contas, todo mundo estará junto lá no Churrasco dos Jornalistas, não é?


É... dia 12 de abril tem o Churras...


O grandioso Churras...


Olha Jornaldo... agora que você lembrou do Churrasco, confesso que me bateu uma fome. E concidentemente nosso tempo acabou...


Pois é... bateu uma fome mesmo só de lembrar do Churras. Já sei onde eu vou comer...


Onde?


Onde eu vou?


É... não estou me convidando... nem quero...


Então não tem razão pra dizer...


Ah... tá bom... por hoje é só pessoal... até a próxima.

Fonte:Sindijor