esqueci minha senha / primeiro acesso

notícias

28/01/2021

Jornalistas aprovam contas e adiam eleição do SindijorPR

Jornalistas aprovam contas e adiam eleição do SindijorPR

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná (SindijorPR) promoveu duas assembleias (ordinária e extraordinária) na noite desta quarta-feira (27), para jornalistas de todo o Estado, em sistema de teleconferência. Mais de 40 trabalhadores participaram, além de convidados como a presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Norte do Paraná (Sindijor Norte) Ticianna Mujalli, o economista do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) Sandro Silva e o assessor jurídico do SindijorPR Christian Mañas.


A primeira assembleia começou rigorosamente às 20 horas, quando o diretor-presidente do SindijorPR Gustavo Henrique Vidal abriu os debates sobre a prestação de contas do Sindicato referente a 2019, lendo o parecer do Conselho Fiscal (leia aqui).


A aprovação deveria ter acontecido no primeiro semestre de 2020, mas devido às restrições impostas pela pandemia de Covid-19, a categoria autorizou o Sindicato a adiar o processo para que a apreciação das contas ocorresse sem a necessidade de expor os profissionais ao risco de uma assembleia presencial. Colocada em votação, a prestação de contas foi aprovada por 97% dos jornalistas participantes, sendo que três profissionais optaram pela abstenção. Clique aqui para ver a Prestação de Contas de 2019


A assembleia extraordinária, a segunda da noite, foi aberta logo em seguida com a categoria consultada sobre a autorização para adiamento da eleição do SindijorPR, inicialmente prevista para abril, e consequente prorrogação do mandato da atual direção até novembro de 2021. Os principais argumentos que embasaram a decisão política dos atuais diretores foram o risco decorrente da crise sanitária em relação à uma eleição presencial e o alto custo envolvido na realização de uma eventual votação por sistema virtual – e que também implicaria no risco de não atingir o quórum em tempo hábil para validar a votação.


Após os debates referentes aos prós e contras da iniciativa, o tema foi colocado em votação. 94% dos jornalistas participantes aprovaram o adiamento da eleição, 3% foram contrários e outros 3% optaram pela abstenção. Na segunda questão referente ao mesmo assunto, 100% dos profissionais presentes à assembleia aprovaram a prorrogação do mandato dos atuais diretores até novembro de 2021.


Proposta pela Direção do SindijorPR, a Eleição acontecerá entre os dias 14 e 16 de novembro, seja presencial ou online. “Neste caso não haverá novo adiamento. O Processo será realizado de uma forma ou outra. Até lá, reuniremos os recursos financeiros necessários para custear as Eleições”, afirma o diretor-presidente, Gustavo Henrique Vidal. A prorrogação do mandato será pelo mesmo período e seguirá os prazos estatutários para posse da nova diretoria. Leia aqui o Estatuto


CCT

Durante a Assembleia, os jornalistas foram informados sobre nova proposta patronal para renovação da Convenção Coletiva de Trabalho 2019/2020 – cuja discussão se arrasta desde junho de 2020. Os empresários insistem no fim do anuênio – principal instrumento de valorização da categoria no Estado. A explanação assustou os jornalistas que participavam da assembleia e que fizeram questão de expor a contrariedade em relação à pauta imposta pelos patrões. A proposta prevê ainda reposição da inflação de 1,2% sem retroativo e um abono de 500 reais.


Um dos profissionais a se manifestar foi Alexandre Palmar, de Foz do Iguaçu. Para ele, a categoria precisa buscar formas de resistir aos ataques dos patrões. “Ao não abrir mão de pautas como o fim do anuênio e a não reposição da inflação, os patronais tiram as principais vitórias da categoria no Paraná. O anuênio é o único ganho real e concreto que os jornalistas têm”, manifesta.


A presidente do Sindijor Norte aproveitou a ocasião para destacar que os Sindicatos de jornalistas estão se mantendo firmes no sentido de não impor mais perdas à categoria – já tão assolada com as dezenas de demissões e as políticas de cortes de salários aplicadas em 2020.


O economista do Dieese enfatizou que das categorias que já fecharam a convenção coletiva de trabalho referente a 2020, somente 27% não tiveram reposição da inflação. “73% conseguiram repor a inflação integralmente e 38% tiveram ganho real”, expõe. Em relação à proposta patronal de acabar com o anuênio, Silva é taxativo ao destacar as perdas progressivas que serão impostas à categoria. “O prejuízo corresponde a 18% do salário, algo em torno de R$ 658,00 em relação ao piso”, enfatiza.


SUSPENSÃO

Além dos informes sobre a negociação do CCT, o SindijorPR também comunicou a categoria sobre a decisão de não realizar os principais eventos presenciais da categoria em 2021: churrasco de jornalistas, Sindijorzão e o prêmio Sangue Novo em função do risco de se promover aglomerações em meio à pandemia do novo coronavírus. “Isso não significa que esta decisão não será revista caso exista alguma mudança de cenário que garanta a realização destes eventos com segurança”, pondera Vidal.