esqueci minha senha / primeiro acesso

notícias

17/11/2020

Após denúncia de intimidação, TRE pede desculpas a jornalista

Profissional registrava a votação em Curitiba, quando foi abordada por homem com identificação do Tribunal Regional Eleitoral que a intimidou e queria obrigá-la a apagar material jornalístico


A diretora de Formações do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná (SindijorPR), Silvia Valim, em solidariedade à jornalista Sandra Nodari, comunicou ao Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR) a situação de desrespeito ao exercício do Jornalismo a que Sandra foi exposta no último dia 15, durante o período de votação, em Curitiba. Nesta terça-feira (17), o presidente do Tribunal, desembargador Tito Campos de Paula, convidou a jornalista e o SindijorPR à sede do TRE para formalizar um pedido de desculpas e reafirmar a importância da atividade jornalística.


Em relato para o Jornal Plural (consulte link abaixo), a professora e jornalista relatou o ocorrido e ainda publicou um vídeo em que mostra o flagrante de um homem identificado com o colete do TRE-PR tocando duas vezes na profissional e, consequentemente, desrespeitando o distanciamento social. O funcionário ainda tentou intimidar a jornalista, exigindo que a mesma apagasse as imagens que ela havia acabado de registrar.


Presidente do TRE recebe a jornalista e reafirma a importância do jornalismo


Em comunicado oficial o TRE-PR argumentou “que além de orientar seus servidores, também orienta todos os colaboradores e mesários da Justiça Eleitoral, que são cidadãos que atuam praticamente apenas no dia das eleições, a sempre respeitar os princípios da liberdade de expressão, de comunicação (art. 5º, IX, CF) e do direito à informação (art. 220, CF)”.


Após o encontro com o presidente do TRE, a jornalista destacou a iniciativa. “Eu fico esperançosa com esse comportamento da Justiça eleitoral de valorizar a imprensa, soltar nota lamentando o ocorrido, e, com isso, penso que podemos estar entrando em uma nova era tão necessária de redução do ódio ao jornalismo”, enfatiza Sandra.


O SindijorPR lamenta profundamente que jornalistas ainda sejam desrespeitados no exercício de suas funções, inclusive por parte de instituições públicas, e que estas ainda não reconheçam a importância da imprensa para a democracia.


Incidente em Ponta Grossa


O SindijorPR também encaminhou, nesta terça-feira (17), ofícios aos juízes das três Zonas Eleitorais de Ponta Grossa, solicitando a ampla publicização dos procedimentos necessários à viabilização da cobertura jornalística das eleições municipais, no próximo dia 29. A medida foi orientada pela Assessoria de Comunicação do Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR) e é necessária tendo em vista que a cidade é a única que terá segundo turno no Estado.


A iniciativa foi adotada depois que profissionais de imprensa que trabalhavam na cobertura da eleição no último domingo (15) foram impedidos de adentrar a seção eleitoral no Instituto de Educação para acompanhar o voto do prefeiturável Professor Gadini (PSOL). Na ocasião, uma mulher que afirmou ser a responsável pelo Colégio Eleitoral declarou que somente a TV Educativa de Ponta Grossa tinha autorização do TRE para acompanhar o voto do candidato dentro da Seção.


Ao ser acionado por profissionais de imprensa, o SindijorPR procurou o TRE-PR que descartou a emissão de autorizações específicas para veículos de imprensa da cidade. “Não houve nenhuma vedação à imprensa, por parte do TRE-PR, com relação ao acompanhamento do momento do voto dos candidatos nas seções eleitorais. Houve apenas uma orientação no sentido de que fosse enviado apenas o contingente estritamente necessário de profissionais para a realização de cobertura jornalística, a fim de evitar aglomerações e manter o distanciamento social, conforme os protocolos sanitários de prevenção ao Covid-19”, informou a Assessoria do órgão.



Relato da jornalista Sandra Nodari no plural: https://www.plural.jor.br/artigos/sofri-preconceito-por-ser-jornalista/

Autor:SindijorPR