esqueci minha senha / primeiro acesso

notícias

04/03/2020

8M | Vista lilás e demonstre que você Luta como uma Jornalista




O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná (SindijorPR) constrói junto à Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) a campanha “Lute como uma jornalista” por conta do crescente número de ataques machistas e misóginos contra jornalistas mulheres. O objetivo é o de conscientizar e mobilizar a categoria para enfrentar estas situações, bem como o de combater o assédio moral que elas enfrentam, seja em uma simples partida de futebol ou vindo do presidente da República.


O SindijorPR convida as profissionais jornalistas a participarem de atos e protestos que serão realizados no Dia Internacional da Mulher, domingo, 8 de março, e conclama a toda a categoria a privilegiar as manifestações de rua em suas pautas, dando visibilidade para a luta das mulheres jornalistas. Na segunda, 9 de março, uma mobilização das mulheres jornalistas será marcada em todo o país pelo uso de roupa lilás. O Sindicato disponibiliza, por demanda, a camiseta "Lute como uma jornalista".


A diretora de interior do SindijorPR, Aline Rios, fala um pouco da importância desta campanha e sobre os riscos que a profissão traz para as mulheres. “Nós mulheres jornalistas estamos duplamente expostas a riscos no exercício da profissão: tanto no sentido de sermos atacadas em termos de liberdade de expressão e imprensa, quanto por sofrermos violências decorrentes, justamente, do fato de sermos mulheres. Ou seja, nós mulheres enfrentamos riscos adicionais e específicos e não estamos, de maneira nenhuma, em pé de igualdade com os homens na profissão, ao menos, não em termos de respeito e reconhecimento.


Outro ponto abordado nesta campanha será sobre o fato de que mulheres recebem menos e dificilmente ascendem para postos de chefia. Rios fala sobre esta dificuldade e também pelos constantes assédios que sofrem. “Recebemos salários menores mesmo quando exercemos as mesmas funções, quase não ascendemos aos postos de comando e chefia, isso sem falar no assédio sexual e moral e nas tantas distinções que, infelizmente, fazem com que mais de 70% das jornalistas já tenham deixado de ser designadas para determinadas coberturas pelo único fato de serem mulheres. Sofremos ainda constantes ofensas machistas e misóginas, além de enfrentarmos o machismo estrutural que atravessa vários âmbitos da nossa sociedade. Não podemos nos calar diante desta realidade, no caso brasileiro, bastante asseverada se considerarmos o contexto recente, em que o ocupante do mais alto cargo da federação vem dedicando boa parte do seu tempo e energia para atacar jornalistas e o jornalismo, buscando esquivar-se de prestar contas de seus atos à sociedade”, revela.


Comissão de mulheres da Fenaj


A Comissão de Mulheres da Fenaj, que tem como objetivo criar uma rede para discutir questões de gênero e relações de trabalho no mercado de jornalismo; produzir estudos, pesquisas e orientações sobre a abordagem nas coberturas jornalísticas; combater as desigualdades de gênero, raça e etnia; lutar pelo respeito e a valorização das trabalhadoras jornalistas e lutar por um melhor posicionamento da mulher na sociedade. Dezenove sindicatos já indicaram representantes e o grupo conta, ao todo, com 21 componentes, sendo duas indicadas pela Executiva. A criação da comissão foi aprovada em um congresso nacional de jornalistas.


O Paraná conta com duas representantes na comissão: a jornalista Ticiana Mujalli, do Sindijor Norte, e Aline Rios, do SindijorPR. Rios fala que a criação desta comissão é uma resposta para o que vem ocorrendo na profissão. "Diante de um cenário tão complexo, não podemos e não devemos nos calar. É preciso que este esforço, que ganha corpo na Comissão de Mulheres da Fenaj, cresça e de forma permanente se estabeleça para construirmos um cenário profissional e uma sociedade mais dignos para todas nós", encerra.


Camiseta


Encomende sua camiseta personalizada fazendo transferência bancária no valor de R$30,00 (trinta reais) para a conta do SindijorPR na CEF, Ag. 0369, conta jurídica 1726-6, operação 003, CNPJ 76.719.574/0001-86. Envie o comprovante de pagamento por email para gerencia@sindijorpr.org.br indicando o tamanho da sua camiseta (P, M, G, GG).


Você deverá buscar sua camiseta na sede do SindijorPR, em Curitiba, assim que for comunicada por e-mail! Para outras cidades, consulte o valor de frete. Obs: Camiseta feminina padrão (não é babylook)


Serviço


Marcha da Frente Feminista de Curitiba e Região Metropolitana



Diálogos sobre assédio na Profissão



Autor:Flávio Augusto Laginski Fonte:SindijorPR