esqueci minha senha / primeiro acesso

notícias

22/11/2019

Profissionais e estudantes de jornalismo se mobilizam contra a MP 905 em Ponta Grossa

Fotos: Rafael Kondlatsch


Assembleia histórica foi realizada pela Subseção Campos Gerais do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná (SindijorPR) na noite desta quinta-feira (21), no campus Ernesto Vilela da Unisecal, em Ponta Grossa, para discutir estratégias de mobilização contra a Medida Provisória 905/19 que acaba com o registro profissional da categoria. Cerca de 100 pessoas compareceram, entre profissionais, professores e estudantes, contribuindo para que a reunião fosse a maior promovida no Estado.



A assembleia nacional foi convocada pela Federação Nacional de Jornalistas (Fenaj) para articular ações para enfrentar a desregulamentação da profissão de jornalista. Entre outras medidas, a reunião definiu pela realização de uma audiência pública em Ponta Grossa, sobre o tema, em 04 de dezembro, Dia Nacional de Luta contra a MP 905. Para tanto, o Sindijor está buscando o apoio de vereadores do Município.


Os jornalistas e estudantes presentes à assembleia também decidiram elaborar uma carta-ofício que será enviada aos representantes da região no Congresso Nacional. O objetivo é sensibilizar os parlamentares, buscando apoio para barrar aspectos da medida que afetam a categoria. “Os profissionais de comunicação como publicitários, radialistas e jornalistas devem ser valorizados, mas além disso, as faculdades públicas e privadas que formam esta mão de obra qualificada para atuar com ética e responsabilidade com a informação também. Isso por que é o trabalho destes profissionais que a todo o momento influencia nas decisões das pessoas e na democracia”, aponta o vice-presidente do SindijorPR em Ponta Grossa, Edson Gil Santos Júnior.


O jornalista Helton Costa, coordenador do curso de Jornalismo da Unisecal, destaca a importância da reação neste momento. "Foi um momento de fortalecimento e união da categoria em prol da qualidade de informação e em defesa do mercado de trabalho profissional em Jornalismo. Novas ações estão sendo planejadas e com certeza, a categoria vai sair mais fortalecida desse momento de luta", avalia.


O coordenador do curso de Jornalismo da UEPG, Felipe Pontes, frisa que a assembleia foi uma oportunidade de diálogo entre profissionais, professores e estudantes para reconhecer e reagir à MP 905/2019. "Uma MP que desregulamenta a profissão, ataca direitos à carga horária e piso salarial. Foi bom para chamar a atenção de quem ainda não conhece a MP para se inteirar e estudar, pois ao saber as consequências da medida todos os jornalistas perceberão o mal que ela traz. A MP é prejuízo para todos os trabalhadores e precisamos informar isso à nossa categoria e à sociedade", diz.


O futuro incerto da regulamentação profissional também preocupa estudantes como o formando Cláudio Lima. "Estamos preocupados e com medo do amanhã após um governo Bolsonaro que está aplicando uma série de medidas que estão levando o país ao retrocesso. A assembleia mostrou o quanto a MP ataca nossos direitos, conquistados há tantos anos. Temos que abraçar a causa e nos unir para por fim a essa medida", lamenta.


Transmissão simultânea


Foto: Júlio Carignano


Esta foi a primeira vez que a direção do SindijorPR utilizou o recurso de transmissão ao vivo via Facebook para integrar as discussões entre a capital e as subseções regionais de Ponta Grossa, Cascavel, Toledo e Foz do Iguaçu.


Durante a transmissão simultânea, foram prestados esclarecimentos sobre a MP pelo advogado do SindijorPR, Sidnei Machado, e pelo economista do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese-PR), Sandro Silva.

Autor:SindijorPR