esqueci minha senha / primeiro acesso

notícias

02/10/2019

SindijorPR participará das eleições ao Conselho Municipal das Mulheres de Curitiba


O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná (SindijorPR) vai concorrer a uma das vagas ao Conselho Municipal das Mulheres de Curitiba. O sindicato entende que é importante participar da eleição e apresentou propostas para contribuir com o órgão. Veja abaixo o Plano de Ação do SindijorPR.


O conselho é responsável por criar políticas voltadas para as mulheres como forma de garantir igualdade, além de integrar e promove-las como cidadãs em todos os aspectos da vida econômica, social, política e cultural.


Serão eleitas 24 entidades da sociedade civil, com atuação no município de Curitiba, entre sindicatos, associações, movimentos sociais e organizações reconhecidas e constituídas, legalmente ou não, em funcionamento há mais de dois anos e Instituições de Ensino Superior de Curitiba (IES). Estão homologadas a participar do pleito 31 entidades.


A eleição será realizada no dia 19 de outubro, entre as 14 e 15h, no auditório da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), campus Curitiba, localizado na Avenida Sete de Setembro, 3165, bairro Rebouças. O resultado do pleito será divulgado a partir das 15h30.


PLANO DE AÇÃO DO SINDIJOPR


- Fiscalização e atuação constante nos locais de trabalho para detecção e prevenção de formas de assédio e violência ás mulheres;


- Participação nas ações e fóruns da sociedade em geral na promoção da igualdade de gênero;


- Como entidade filiada á CUT Paraná, o SindijorPR Também se integra e participa das atividades promovidas pela central


- Participação permanente em diversos espaços de discussão sobre direitos das mulheres, entre eles:

a. Participação em Conselhos dos Direitos da Mulheres ;

b. Atividades de Formação para mulheres trabalhadoras com temáticas sobre o direito das mulheres, gênero e combate ao racismo;

c. Reuniões periódicas do Coletivo de Mulheres da CUT PR;


- Compromisso de atuação na construção das atividades de rua em parceria com os movimentos sociais e feministas que defendam os direitos das mulheres, como o 8 de março, os 16 dias de ativismo pelo fim da violências contra as mulheres, etc.

Autor:Flávio Augusto Laginski Fonte:SindijorPR