esqueci minha senha / primeiro acesso

notícias

27/05/2019

Pelo fim das agressões a jornalistas



Manifestações públicas têm se tornado o pesadelo para jornalistas. Nos últimos anos, dezenas de profissionais se tornaram alvo da intolerância e foram agredidos e hostilizados por manifestantes. 


Neste domingo, três profissionais e um estudante foram violentamente agredidos e censurados durante manifestação a favor do governo federal e da reforma da previdência.


Os repórteres-fotográficos Hedeson Alves, da Gazeta do Povo, Franklin Freitas, do jornal Bem Paraná, e Giorgia Prates, do Plural, foram impedidos de cumprirem com sua função, de informar a sociedade, com socos, empurrões e palavrões de manifestantes.


O estudante de jornalismo da UFPR Hiago Zanolla também foi uma vítima da violência enquanto cobria o evento para o jornal laboratório da universidade.


Num ato que se autodefine como democrático, é no mínimo incoerente que a democracia seja violada com práticas de violência contra quem está ali para relatar a manifestação.


O SindijorPR repudia veementemente a violência contra jornalistas, profissionais responsáveis pela fiscalização da democracia. É preciso identificar os responsáveis pelas ações e punir com o rigor da lei.


Jornalistas precisam ter garantido o seu direito de livre exercício profissional para mostrar a realidade de atos que não têm nada a esconder. Não admitiremos que a intolerância e a ignorância nos silenciem.


Publicado originalmente pela Direção Executiva do SindijorPR aqui, na noite de domingo, 26 de maio de 2019.
Autor:Direção SindijorPR Fonte:SindijorPR