esqueci minha senha / primeiro acesso

notícias

21/03/2019

Em Curitiba ato e panfletagem no Dia Nacional de Luta em Defesa da Aposentadoria

Foto: Gibran Mendes.


Nesta sexta-feira (22) acontece, em todo o Brasil, o Dia Nacional de Luta em Defesa da Aposentadoria. A mobilização é uma resposta da classe trabalhadora à tentativa do governo Jair Bolsonaro (PSL) de aprovar a chamada “Reforma de Previdência” que pode significar o fim da aposentadoria para milhões de brasileiros, restringindo o acesso e reduzindo o valor do benefício, sobretudo para as camadas mais pobres da população.


Em Curitiba as centrais sindicais organizam uma mobilização no centro da cidade. A concentração terá início às 9h da manhã, na Boca Maldita, com panfletagem e diálogo com a população sobre os retrocessos da reforma. Depois, às 11h, está prevista uma caminhada até o prédio do INSS, em frente à Praça Santos Andrade, também no centro da capital.


“Este é mais um retrocesso social que não podemos admitir. Caso a reforma seja aprovada, milhões de brasileiros serão miseráveis durante sua velhice. A CUT seguirá em luta em defesa da aposentadoria até que esse projeto seja, definitivamente, enterrado”, afirma a presidenta da CUT Paraná, Regina Cruz.


Caso o texto seja aprovado com o teor apresentado ao Congresso Nacional, milhares de trabalhadores e trabalhadoras não vão conseguir se aposentar e muitos se aposentarão com benefícios de menos de um salário mínimo. E os que já estão aposentados terão o valor dos benefícios achatados. A reforma de Bolsonaro é muito pior do que a do ilegítimo Michel Temer (MDB).


Entre os retrocessos apresentados está a obrigatoriedade da idade mínima de 65 anos homens) e 62 anos (mulheres) se aposentarem, aumenta o tempo de contribuição de 15 para 20 anos para receber benefício parcial e acaba com a vinculação entre os benefícios previdenciários e o salário mínimo. Isso significa que os reajustes dos aposentados serão menores do que os reajustes dos salários mínimos. E mais: a reforma de Bolsonaro prevê que a idade mínima aumentará a cada quatro anos a partir de 2024. Ou seja, a regra para que um trabalhador possa se aposentar no futuro poderá ficar ainda pior.


Serviço:


Dia Nacional de Luta em Defesa da Aposentadoria

Data: Sexta-feira, 22 de março.

Horário: 9h

Local: Concentração na Boca Maldita, centro de Curitiba.

Autor:CUTPR