esqueci minha senha / primeiro acesso

notícias

13/03/2019

Marcha 8M reúne milhares de pessoas em Curitiba e outras cidades

Foto: Paula Zarth Padilha.

O Centro de Curitiba parou na última sexta-feira (8) para receber a marcha 8M pelo Dia Internacional da Mulher. Organizado pela Frente Feminista de Curitiba e Região Metropolitana, o evento reuniu aproximadamente 10 mil pessoas. O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná (SindijorPR) esteve presente na manifestação, representado por algumas de suas diretoras.


A marcha em Curitiba saiu da Praça Santos Andrade e saiu em direção pela Avenida Marechal Deodoro, indo até a Boca Maldita. Com cartazes em defesa dos direitos das mulheres, as participantes, acompanhadas de crianças e apoiadores, também entoavam palavras em defesa do feminismo, contra a violência e opressões de gênero. Nem mesmo a chuva foi capaz de desanimar as participantes da marcha.


Os temas do protesto deste ano foram a reforma da Previdência, medida do presidente Jair Bolsonaro que vai prejudicar de sobremaneira os trabalhadores e trabalhadoras mais vulneráveis, e ainda teve uma homenagem para vereadora Marielle Franco, vítima de um crime brutal no dia 14 de março de 2018. A esquina das marechais chegou a receber uma placa simbólica com o nome de Marielle.


Marielle Franco


Uma nova marcha será realizada em todo o país nesta quinta-feira, 14 de março, quando completa um ano da morte da ativista dos direitos humanos, vereadora no Rio de Janeiro, Marielle Franco. Em Curitiba, o ato será realizado a partir das 18h30 na Praça Santos Andrade. Na última terça-feira, 12 de março, a polícia prendeu dois suspeitos de participar da execução de Marielle. O policial militar reformado Ronnie Lessa é apontado como o autor dos disparos que assassinaram a vereadora e também o motorista Anderson, enquanto o ex-PM Élcio Vieira de Queiroz é acusado de ter dirigido o automóvel que perseguiu Marielle .

Ponta Grossa


Em Ponta Grossa, região dos campos gerais, a marcha 8M saiu do Parque Ambiental, passou pelo Calçadão da Rua Coronel Cláudio e encerrou na Avenida Vicente Machado. As manifestantes também protestaram contra o feminicídio e a reforma da Previdência. Houve ainda uma feira solidária e práticas integrativas.

Autor:Flávio Augusto Laginski Fonte:SindijorPR