esqueci minha senha / primeiro acesso

notícias

12/03/2019

Selecionadas do Coletivo ChegaJunto participam como voluntárias em debate sobre gênero e resistência

Mais de oitocentas pessoas estiveram nesta segunda-feira (11) no lançamento da segunda edição do livro Gênero e Resistência no Teatro da Reitoria da UFPR, em Curitiba. A obra surge do Encontro de Pesquisa Por.De.Para Mulheres de 2018 e é organizado pelas próprias participantes do grupo. Alunas do Curso de Política Por.De.Para Mulheres e voluntários organizaram o evento que teve transmissão ao vivo pela UFPR TV, assim como pela página do Instituto no Facebook.


O Coletivo de Estudantes e Professores de jornalismo do Sindicato dos Jornalistas do Paraná esteve presente fazendo a assessoria de imprensa do evento. O SindijorPR ajudou no processo seletivo de três estudantes após envio do currículo. Um dos critérios era, além da disponibilidade de horário, ter tido aprovação ou estar cursando a disciplina de assessoria de imprensa.


As selecionadas foram Letícia Costa, Amanda Kawasaki e Ana Caroline Paulino que integraram a equipe de comunicação da organização do evento e realizaram atividades como distribuição prévia de releases, credenciamento da imprensa, organização de entrevistas, apoio às entrevistadas e imprensa. Todas receberão certificado de horas complementares por todo o trabalho efetivado.


A Diretora de Formações do SindijorPR, Silvia Valim, que também é professora universitária, acompanhou as estudantes em todo o processo e entende que a oportunidade foi uma espécie de aula prática. “O Instituto não tem uma equipe própria de jornalismo e entendeu que não queria abusar da força-tarefa das estudantes, por isso fizemos um trabalho de extensão da universidade com orientação. Então elas deram ideias, criaram os itens para os formulários, receberam a relação dos credenciados, receberam a imprensa no local, cuidaram do tempo das entrevistas e dos entrevistados. Fiquei ao lado para os momentos de indecisão, afinal é uma responsabilidade grande. Mas tudo saiu como a organização previa. Ficamos felizes pois a meta foi cumprida”, finalizou.


A jornalista Ana Carolina Caldas, do jornal Brasil de Fato, participou da cobertura do evento e ficou admirada com o trabalho das futuras colegas de profissão. "O evento foi muito bem organizado em todos os aspectos, com destaque para o atendimento à imprensa. A equipe, desde o início até o fim, orientou e acompanhou os profissionais de imprensa possibilitando a todos nós tranquilidade e cumprimento do trabalho, sem atropelos. É a primeira vez que o percebo muita sintonia em uma equipe de assessoria de imprensa”, elogia a jornalista.


“Foi uma oportunidade incrível. Espero que tenhamos mais eventos assim. Isso nos leva a uma realidade que nem sempre temos chance de vivenciar, ainda mais com uma professora jornalista acompanhando, o que nos mostra o caminho a ser seguido e nos tira dúvidas no exato momento que precisamos”, contou Ana Caroline Paulino, estudante de jornalismo da Uninter que fez parte do projeto.


Do evento, participaram a Responsável pelo prefácio do livro, Luciana Panke e Eneida Salgado, idealizadora do projeto que começou como grupo de pesquisa em 2017 e já está na sua terceira edição por meio da escola de verão.


No debate sobre gênero e resistência estavam Diva Guimarães, filha de lavadeira e neta de português com escrava e que fez sucesso na última Feira Literária de Paraty, além de Manuela D’Ávila, candidata a vice-presidente da República na última eleição e que também aproveitou o evento para lançar o livro Revolução Laura, que fala de maternidade e resistência.


Para participar do Coletivo enviei email para silvia.v@sindijorpr.org.br

Autor:SindijorPR