esqueci minha senha / primeiro acesso

notícias

18/05/2018

SindijorPR participa de painel na Intercom Sul

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná (SindijorPR) terá um painel na Intercom Sul, evento criado para debater e discutir os rumos do jornalismo no Brasil. O evento, que acontece em Cascavel, região oeste do Estado, de 31 de maio a 02 de junho, no Centro Universitário Fundação Assis Gurgacz (FAG), é direcionado para pesquisadores, profissionais e estudantes de jornalismo e terá como tema “desigualdades, gêneros e comunicação”.


O SindijorPR estará representado pela diretora de formação, Silvia Valim. Dois ex-dirigentes do sindicato também estarão presentes: os jornalistas Pedro Carrano e Guilherme Carvalho. O coordenador de jornalismo da FAG e organizador da Intercom Sul deste ano, Ralph Willians, fala sobre o convite para o evento. “O SindjorPR é a maior representação da nossa categoria no estado. Incluir seus membros num painel para discutir e fortalecer o jornalismo num evento como a Intercom é uma maneira de ampliar as discussões do mundo do trabalho na academia. São tempos complexos para os jornalistas. As Fake News geram uma insegurança do leitor em relação ao conteúdo jornalístico. E precisamos tratar sobre este assunto e fortalecer nossa categoria”.


Valim acredita que participar da Intercom Sul será uma oportunidade para mostrar principalmente aos estudantes que nem só de grande mídia vive o jornalismo. “Tentamos nos agarrrar a toda oportunidade que temos de divulgar o jornalismo ético e que foge das amarras do oligopólio da mídia. O convite da Intercom Sul foi providencial, pois temos mais uma chance de falar aos futuros jornalistas que o mercado não vive só de veículos de grande porte, mas também de meios alternativos que expõem problemas sociais que precisam de solução”, avalia.


O jornalista e coordenador do curso de jornalismo do Centro Universitário Internacional (Uninter), Guilherme Carvalho, comentou sobre o que irá falar na Intercom Sul. “A ideia é mostrar trabalhos no jornalismo alternativo, algumas iniciativas e mostrar para os participantes de que há vida fora da grande mídia. Esses trabalhos vêm se mostrando como novos mercados de trabalho, de carreira, além de serem produtos bem acabados”, resume.


Pedro Carrano, assessor de comunicação do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba (Sismuc) e coordenador do jornal Brasil de Fato, fala sobre a importância das mídias alternativas para o público. “Esse jornalismo alternativo vem desempenhando um papel cada vez maior na defesa das pautas dos trabalhadores, da organização sindical. O leitor não vai encontrar este tipo de defesa na mídia comercial e acaba encontrando nestas publicações este tipo de leitura. Mesmo com as dificuldades que temos, o jornalismo alternativo tem se consolidado como um espaço firme, de quem está cansado da grande mídia”, encerra.

Autor:Flávio Augusto Laginski Fonte:SindijorPR