esqueci minha senha / primeiro acesso

notícias

10/11/2017

SindijorPR repudia exploração de imagens fortes da rebelião em Cascavel

SindijorPR repudia exploração de imagens fortes da rebelião em Cascavel
Foto: Ascom/Depen

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná (SindijorPR) repudia a veiculação de imagens da rebelião nesta quinta-feira (9) na Penitenciária Estadual de Cascavel (PEC), nas quais detentos aparecem exibindo cabeças decapitadas ou de corpos sendo arremessados do telhado da unidade prisional. As imagens foram mostradas por veículos de comunicação de Cascavel, no Oeste do Paraná.


A Televisão Tarobá exibiu, em TV aberta, imagens sem mosaico no jornal do meio dia, uma falta de precaução que expõe as cenas fortes a qualquer telespectador no horário do telejornal. Já os portais de notícias Catve.com e Central Gazeta de Notícias (CGN) afirmam ter recebido as imagens de terceiros sem garantir o crédito às fontes. O material publicado no site da CGN é um vídeo do interior da penitenciária onde os presos exibem uma cabeça como “troféu”. Já na Catve.com as imagens são do telhado da unidade prisional. Logo após a veiculação, as imagens passaram a circular nas redes sociais e grupos de WhatsApp.


O SindijorPR ressalta que o dever de levar informações de interesse público à sociedade não inclui a necessidade de expor tais imagens. A veiculação de cenas de pessoas decapitadas não agrega em nada ao acesso à informação, direito de qualquer cidadão. Entendemos que tal publicação não tem outra justificativa senão o sensacionalismo.


Ao exibir os conteúdos, os veículos de comunicação ferem a ética profissional. O Código de Ética dos Jornalistas Brasileiros, em seu Capítulo III, estabelece que o jornalista "não pode divulgar informações de caráter mórbido, sensacionalista ou contrário aos valores humanos, especialmente em cobertura de crimes e acidentes". 


Infelizmente, práticas semelhantes vêm ocorrendo com frequência na produção de parcela da mídia, especialmente veículos que não se pautam pela informação de interesse público. Eventuais abusos na exploração das imagens devem ser investigados pelo Conselho de Ética estadual.


O SindijorPR defende a liberdade de expressão, o direito do cidadão à informação, mas não compactua com o desvirtuamento do papel do jornalismo nas sociedades democráticas. Os veículos de comunicação devem ter responsabilidade pela divulgação de materiais, não devendo servir como exploração da barbárie.
Autor:Direção do SindijorPR