esqueci minha senha / primeiro acesso

notícias

14/09/2017

Sindicato repudia hostilidades em manifestações ocorridas em Curitiba

Sindicato repudia hostilidades em manifestações ocorridas em Curitiba
O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná (SindijorPR) repudia hostilidades ou agressões que profissionais da imprensa tenham sido alvo durante a cobertura do depoimento do ex-presidente Lula ao juiz Sérgio Moro. Embora a entidade não tenha recebido nenhuma denúncia formal, há relatos, em redes sociais, de cerceamento da atividade durante a cobertura. Sendo assim, somos contra qualquer tipo de constrangimento ou violência ao profissional de imprensa, especialmente no exercício de suas funções.


O SindijorPR reforça que tem dialogado com frequência com organizações sociais e sindicais para alertarem suas bases sobre a necessidade de os jornalistas serem respeitados e poderem atuar livremente no exercício da profissão. A resposta sempre tem sido positiva no entendimento dessas organizações de que o jornalista também é um trabalhador cujo objetivo é informar a população sobre os acontecimentos, independente da linha editorial do veículo para qual trabalha. Da mesma forma que entendemos que possíveis agressores, partes ou não do movimento, devem ser identificados e encaminhados para a autoridade de segurança pública.


Por outro lado, o SindijorPR, desde a campanha “Basta de perseguição a jornalistas”, reforça que também solicitou nas últimas mesas de negociação que as empresas primem pela segurança de seus funcionários. É papel delas ofertar o uso frequente de equipamentos de segurança em coberturas que possam oferecer algum tipo de risco. No entanto, este pedido ainda não foi aceito pelos veículos por argumentarem alto custo para os mesmos. É inaceitável, nesse sentido, que as empresas continuem irresponsáveis em não garantir o mínimo de segurança dos profissionais nessas situações.


De qualquer forma, é também inadmissível que ainda tenhamos casos de desrespeito ao profissional de imprensa em qualquer situação. Os jornalistas, assim como os movimentos sociais e sindicatos, são trabalhadores que também estão sendo afetados pela crise econômica e pela mudança de comportamento do povo brasileiro. Eles não podem ser encarados como inimigos ou aliados de um determinado grupo apenas por exercerem seu ofício de informar. Entendemos que impedir o exercício profissional de jornalistas é contraditório no sentido de quem se manifesta em nome da democracia, na defesa de direitos e em nome da liberdade de expressão.
Autor:SindijorPR