esqueci minha senha / primeiro acesso

notícias

29/06/2016

SindijorPR diz "NÃO" à reposição escalonada abaixo da inflação

SindijorPR diz "NÃO" à reposição escalonada abaixo da inflação

Os patrões da comunicação continuam a fazer pouco caso com jornalistas nas mesas de negociação. Em reunião realizada na manhã de hoje (29), na sede do SindijorPR, os sindicatos patronais voltaram a oferecer proposta que, novamente, sequer cobre a inflação de 9,83%. Uma nova reunião acontece no dia 13 de julho, às 14h, no SindijorPR.

Desta vez, os empresários da mídia ofereceram reposição salarial de forma escalonada. Pela proposta, o piso salarial seria reposto em 4%. Quem ganha até R$ 5 mil teria 3%; de R$ 5 mil até R$ 7 mil seriam 2% e quem tem o salário acima de R$ 7 mil receberia um valor fixo de 140 reais. Gerentes e diretores não teriam reajuste. As demais propostas dos jornalistas, como fim das demissões e atendimento de cláusulas sociais, continuam ignoradas.

O SindijorPR e o Sindicato dos Jornalistas do Norte do Paraná pausaram a negociação após a apresentação da proposta para avaliação. “Decidimos negar a proposta, já que a categoria decidiu em assembleia não aceitar reposição inferior aos 9,83%”, explica o diretor do Sindicato do Norte Vitor Ogawa.

“Essa proposta nasceu morta”, decretou o diretor-presidente do SindijorPR, Gustavo Vidal. Para ele, não é possível discutir reposição que não tenha como base o índice inflacionário e que ainda prevê perdas salariais à categoria. “Já somos tratados como custo e não temos atenção para nossas pautas sociais. É preciso mudar esta mentalidade. Sem a gente, não há jornal”, disparou.

Os representantes patronais insistiram em fundamentar o reajuste rebaixado para jornalistas “na crise pela qual passam os meios”. Para eles, é uma sobrevida aos veículos, além de manter empregos e postos de trabalho. No entanto, quando questionadas sobre a garantia dos empregos, as empresas negam. “Se defendem a manutenção de emprego com reajuste abaixo da inflação, que oficializem a manutenção dos postos de trabalho na Convenção Coletiva”, destacou Gustavo Vidal.

Mobilização continua

Como a queda de braço ainda não teve um fim, o SindijorPR segue orientando os jornalistas a continuarem com a mobilização em defesa da pauta de reivindicações. Tirem fotos e vídeos nos seus locais de trabalho, usando as hashtags #?LutaJornalista e ?#?PrimeiramentePagueMeuReajuste.

Autor:Direção do SindijorPR