esqueci minha senha / primeiro acesso

notícias

11/11/2015

Sinjor-PA repudia agressão a jornalistas

O jornalista Reginaldo Ramos e um repórter cinematográfico freelancer, Lucas Mendes, ambos a serviço da TV RBA, foram agredidos física e moralmente e ainda tiveram a câmera roubada dentro da residência do prefeito de Moju, Deodoro Pantoja da Rocha, na manhã desta segunda-feira, 09/11, quando a equipe realizava uma reportagem sobre a suspensão do serviço de coleta de lixo municipal.


A equipe estava gravando entrevista em frente à residência do prefeito, onde empregados da empresa contratada para a realização da limpeza urbana, E & I Serviços, acampavam a fim de pressionar o prefeito a pagar os valores devidos para que eles pudessem receber os salários. Os repórteres gravavam com o dono da empresa, Luiz Leite, quando o secretário municipal de Administração do Moju, Jaime Sarraf, impediu a entrevista, botando a mão na lente da câmera, e insistiu para que a equipe entrevistasse primeiro o prefeito dentro da residência.


Os repórteres se dirigiram ao local e, dentro do imóvel, as agressões foram iniciadas pelo próprio prefeito, que contou com a colaboração de correligionários que estavam lá. Reginaldo foi imobilizado com uma gravata e levou socos nas costas, enquanto Lucas foi imobilizado com o braço torcido nas costas. Em seguida, foram expulsos e tiveram o microfone e a câmera tomados.


Os repórteres procuraram a delegacia do Moju para registrar o boletim de ocorrência. A mando do delegado João Bosco Fagioli, uma equipe de policiais militares foi até a residência do prefeito, mas retornou somente com o microfone alegando que a câmera havia desaparecido. As vítimas, testemunhas e assessores da prefeitura foram ouvidos em depoimento. Reginaldo e Lucas não foram encaminhados para serem submetidos ao exame de corpo delito no Instituto Médico Legal (IML) e a cópia do B.O. não lhes foi fornecida.


O Sinjor manteve contato com o delegado, que informou, por telefone, que ainda não havia sido registrado o BO sobre o roubo da câmera cinematográfica e que iria verificar se tinha sido feito o BO da agressão a Reginaldo. Ainda, a pedido do Sinjor, o delegado ficou de registrar a agressão ao repórter cinematográfico e de acrescentar a expressão roubo “majorado” no registro sobre a câmera, em razão de representar violação da Liberdade de Imprensa e impedimento do exercício profissional. O delegado alegou que a demora nos registros se deveu a outro episódio relacionado, em que o prefeito foi acusado de mandar destruir as barracas das pessoas acampadas em frente à casa dele. A situação gerou novos registros de ocorrência na unidade policial.


O Sindicato dos Jornalistas do Pará (Sinjor-PA) repudia veementemente a agressão sofrida pelos repórteres da RBA, assim como exige da Polícia Civil o esclarecimento dos fatos, o registro dos crimes e a responsabilização dos agressores, considerando que o roubo da câmera poderia ter implicado na prisão em flagrante do responsável pelo roubo.


Todo e qualquer impedimento ao exercício da profissão de Jornalista representa grave violação à Liberdade de Imprensa e ameaça à democracia brasileira e, por isso, sempre será combatido por esta entidade sindical.


SINDICATO DOS JORNALISTAS DO ESTADO DO PARÁ (SINJOR-PA)

Autor:Sindijor-PA Fonte:http://www.sinjorpa.org.br/?p=1047