esqueci minha senha / primeiro acesso

notícias

11/08/2015

SindijorPR repudia declarações machistas de Edson Praczyk (PRB)

SindijorPR repudia declarações machistas de Edson Praczyk (PRB)
Foto: Pedro de Oliveira/Alep
O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná (SindijorPR) mais uma vez repudia publicamente declarações do deputado estadual pastor Edson Praczyk (PRB), que durante sessão desta segunda-feira (10) na Assembleia Legislativa (Alep) atacou a repórter Paola Manfroi, da RPC TV. Em seu discurso na tribuna da Casa, o parlamentar disparou: “O que essa jornalista 'deu' para conseguir essas informações privilegiadas? Como que conseguiu isso? Se nem eu sabia que tinham embargado, bloqueado minha conta bancária? Como pode?”.

O mesmo político já tinha usado palavras de baixo calão para se referir a jornalistas que cumpriam com o seu dever, questionando as irregularidades apontadas pelo Ministério Público (MP). Desta vez, porém, há o sério agravante do machismo. Conforme matéria exibida pelo telejornal Paraná TV, Praczyk e o servidor da Alep Luis Alberto de Lima tiveram R$ 308.403,60 de seus bens bloqueados. Ambos são acusados de usar os documentos de uma fiel da igreja da qual o político faz parte para contratá-la no Legislativo.

Para a entidade, a atitude de Pracyk se configura quebra de decoro. O SindijorPR reitera que estudará medidas, inclusive judiciais, a serem tomadas contra o deputado. Também informa que encaminhará o caso à Presidência da Alep. Considera incoerente, ainda, o fato de o político seguir na presidência do Conselho de Ética da Casa, tendo inclusive já arquivado o pedido de abertura de processo de cassação contra o ex-presidente da Alep Nelson Justus (DEM), acusado de contratações irregulares e desvio de salários de servidores.
Autor:Direção do SindijorPR Fonte:SindijorPR