esqueci minha senha / primeiro acesso

notícias

07/07/2014

Jornalistas suspendem negociação e esperam por proposta dos empresários

Jornalistas suspendem negociação e esperam por proposta dos empresários
Arte: Simon Taylor

Trabalhadores não vão aceitar o ataque patronal a um dos pilares da profissão. No dia 25 de julho, os jornalistas esperam que os sindicatos das empresas apresentem uma proposta que atenda às reivindicações da categoria


Dia 25 de julho, data da próxima reunião de negociação da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) entre jornalistas e empresários. Esta é a data limite para que os sindicatos patronais apresentem uma resposta à Pauta de Reivindicações defendida pelo Sindijor-PR.


Após mais uma negociação sem avanços e com a intransigência dos empresários, os trabalhadores decidiram romper a negociação caso não haja avanços. “A investida contra o piso, mais uma vez, mostra o desrespeito dos donos das empresas de comunicação com a decisão dos jornalistas, que em assembleias rechaçaram a redução salarial”, afirmou o presidente do Sindijor-PR, Guilherme Carvalho.


Para a direção do Sindijor o piso dos jornalistas é uma conquista histórica dos trabalhadores e não está em negociação. Mesmo após os jornalistas pararem as redações, os empresários insistem em atacar um dos pilares da profissão: o piso estadual.


AÇÕES


A assembleia da categoria determinou que todas as negociações em paralelo, do Sindijor-PR com empresas, sejam canceladas. Assim, nenhum acordo individual deverá ser fechando pelo Sindicato enquanto a Convenção Coletiva de Trabalho não estiver finalizada. O jornalistas também decidiram que o Sindijor deverá buscar subsídios para propor dissídio coletivo no Tribunal Regional do Trabalho.


“A assembleia também indicou que o Sindicato deverá levantar informações para ingresso de ações judiciais contra empresas que não cumprem a CCT”, explica Guilherme, reafirmando que “todas as decisões da assembleia serão postas em prática a partir de hoje (1)”.


MOBILIZAÇÃO


Novas paralisações não foram descartadas pelos jornalistas na assembleia. Ficou acertado que o Sindicato consultará a categoria após a reunião do dia 25, para programar outras mobilizações. Muitos jornalistas enviaram ações que a categoria deverá realizar. “Temos propostas diversas e muitos trabalhadores defendem uma greve contra a intransigência patronal”, completou Guilherme.


As ações serão estudadas pela Direção do Sindijor-PR para que sejam programadas após a próxima mesa de negociação. Leia mais informações sobre a Campanha Salarial aqui.

Autor:Gustavo Vidal Fonte:SindijorPR