esqueci minha senha / primeiro acesso

notícias

27/05/2014

Sindijor discutiu condições de trabalho com representantes do GRPCOM

Sindijor discutiu condições de trabalho com representantes do GRPCOM
Sindijor e GRPCOM conversaram na tarde de ontem (26) sobre questões trabalhistas (*Regis L. Cardoso)

Na tarde de ontem (26), a direção do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná e os representantes do Grupo Paranaense de Comunicação fizeram encontro na sede do Sindijor. O objetivo da reunião foi renovar o acordo de compensação de jornada, extensão de jornada e Programa de Participação dos Resultados (PPR) da RPCTV e da Gazeta do Povo.


Porém para o Sindijor a questão envolve também condições de trabalho. “O objetivo do encontro é resolver pendências trabalhistas dos jornalistas. Há alguns problemas que foram trazidos pelos profissionais e agora vamos sentar e resolver com o grupo de comunicação”, explicou Guilherme Carvalho, diretor presidente do Sindijor.


Os diretores do Sindijor questionaram os representantes do GRPCOM sobre temas como a exclusividade do profissional no veículo de comunicação, o uso de conteúdo produzido pelo mesmo trabalhador em mais mídias do mesmo grupo de comunicação, descumprimento do acordo de extensão de jornada, adequação dos diagramadores e o não pagamento de horas extras aos editores.


Os representantes do GRPCOM assumiram um compromisso de apresentar respostas para os pedidos do Sindijor. Uma nova reunião foi agendada para o dia 26 de junho, também na sede do Sindicato.


Horas Extras para editores: à questão da jornada para editor e o pagamento referente ao período além das 5 horas estipuladas em lei foi debatido na reunião. Vale lembrar que no dia 24 de março, o Sindijor publicou a decisão do Tribunal Regional do Trabalho referente a realização de jornada acima do previsto na legislação. Pela decisão (lei aqui) o jornal Gazeta do Povo não poderia cobrar a jornada acima das 5 horas diárias da jornalista Érika Busani, contratada na época como "editora assistente".


Vitórias anteriores


O SindijorPR já obteve vitórias neste sentido, garantindo que editores também tivessem reconhecido o direito a 5 horas. É o caso dos editores do jornal Folha de Londrina e do Estado do Paraná e Tribuna do Paraná, quando estes últimos dois ainda faziam parte do Grupo Paulo Pimentel. A ação coletiva ganha pelo sindicato em 2012 garantiu o pagamento de horas extras aos editores atingindo valores próximos aos R$ 9 milhões (leia matéria aqui). 

Autor:Regis Luís Cardoso Fonte:SindijorPR