esqueci minha senha / primeiro acesso

notícias

30/04/2014

Novas diretrizes foram debatidas no terceiro dia do 15º ENPJ

Novas diretrizes foram debatidas no terceiro dia do 15º ENPJ
Painel Panorama Regional do Ensino de Jornalismo no Brasil - *foto: Guilherme Dea
No terceiro dia do 15º Encontro Nacional de Professores de Jornalismo, a palestra “Panorama Regional do Ensino de Jornalismo no Brasil” abriu espaço para a discussão das novas diretrizes no curso de jornalismo, trazendo as experiências dos palestrantes em seus âmbitos regionais.


Temáticas como debate e reflexão das novas diretrizes, ética da profissão, impactos e transformações que causam nas universidades, interferências que acarretam na mudança grade curriculares do curso, o avanço das novas tecnologias e a influencia que ela exerce no processo de criação do jornalismo, além da necessidade de incentivar os jornalistas a pesquisa foram abordadas durante a discussão na palestra.

Estágio: Também a questão do estágio fez parte do debate. Já no primeiro dia do evento aconteceu o 11º Pré-Fórum Fenaj (Federação Nacional dos Jornalistas), com o tema “Impactos das novas diretrizes curriculares no campo jornalístico”, a proposta de estágio do Sindijor foi abordada pelo presidente do Sindicato, Guilherme Carvalho; que na ocasião dividiu a mesa de debates com o presidente da Fenaj, Celso Schröder; e com o secretário do FNPJ, Edson Spenthof; com mediação da jornalista Carmem Pereira, diretora da Fenaj.

A proposta de estágio enviada pelo Sindijor foi aprovada pelo FNPC. “Faremos um encontro de trabalho juntamente com a Fenaj para o segundo semestre. O objetivo é de avançar na formação de um projeto, com indicadores de verificação de qualidade. A questão do estágio está precisando de uma proposta de organização urgente, mas isto precisa ser elaborado em parceria”, explicou o professor de jornalismo Marcelo Engel Bronosky.


Outra questão muita abordada no encontro foi sobre a individualização do Trabalho de Conclusão de Curso. As opiniões a respeito deste tema ainda são muito divididas, pois algumas universidades já adotam a medida enquanto em outras instituições os corpos docentes questionam se a ação pode desvalorizar a realização do trabalho jornalístico.


Segundo João Pedro Dias, coordenador do 6º Encontro Rio-Espírito Santo de Professores de Jornalismo e Diretor Regional Sudeste, a mudança da grade curricular serve para adaptar as novas medidas das diretrizes, afim de fortalecer a profissão e adequação dos alunos ao novo mercado de trabalho e a possibilidade de atuar em novas áreas através de extensões .


A fim de sincronizar os fóruns regionais e tirar duvidas a respeitos das novas diretrizes, um canal de perguntas e respostas as questões será aberto, segundo Marcelo Engel Bronosky. O prazo para a implementação das novas diretrizes é até o primeiro semestre do ano que vem.

Autor:Amanda Carolina e Guilherme Dea / Edição Regis Luís Cardoso Fonte:FNPJ/Sindijor