esqueci minha senha / primeiro acesso

notícias

25/02/2014

Pesquisa do Sindijor tem estimulado o debate entre a categoria

Pesquisa do Sindijor tem estimulado o debate entre a categoria

A pesquisa “Demissômetro” veio para ficar. A proposta do Sindijor que amplia o olhar nos locais de trabalho, onde a prática de demissões tem sido abusiva, chamou a atenção dos jornalistas pelo estado (leia matéria da pesquisa aqui). Em alguns locais de trabalho, diretores do Sindijor foram interrogados sobre a questão das demissões. É comum nos editoriais dos veículos de mídia noticiar o “impostômetro” do país, uma referência às análises da carga tributária e gestão das contas do Estado. O Sindijor trouxe o Demissômetro, um olhar atual da política dos empresários de comunicação no Paraná.
Denuncia: O Sindijor criou essa ferramenta para denunciar aquilo que é encoberto pelas empresas. Hoje os patrões optam pela demissão a “conta-gotas” de poucos profissionais. Esses “desligamentos” têm sido permanentes, associados à prática de pressão, sobrecarga de trabalho, assédio moral e subcontratações no interior das redações.
Para o Sindijor, a política de gestão de algumas empresas de comunicação busca evitar possíveis mobilizações e descontentamento dos profissionais. Impede também a denúncia e o desgaste da imagem da empresa na sociedade. “Mas, ao levantar esses dados, constatamos que o número de demissões é altíssimo. A prática de demissões encobre também problemas de gestão das empresas, uma vez que o cenário é de lucratividade no setor”, expressa a direção do Sindijor.
O levantamento do Sindijor (entre 2011 e 2013) envolve empresas da capital paranaense, Cascavel, Foz do Iguaçu e Guaíra. As dez principais empresas deste ranking demitiram 156 profissionais em dois anos. Foram 287 demissões no período em todas as empresas. Trata-se da prática do conhecido “passaralho” nas redações – só que neste caso a médio prazo.
Confira a lista das 10 maiores “demissoras”, de acordo com cada empresa:
1- Funpar/UFPR. 35 demissões
2 - Gazeta do Povo. 23 demissões
3 – Sociedade Rádio Emissora Paranaense (RPC-TV. Canal 12 e emissoras). 19 demissões
4- Rádio e TV Iguaçu (Rede Massa). 17 demissões
5 – CATVE (Cascavel) - 13 demissões
6 - GW Paraná. 13 demissões
7 – RIC. 11 demissões
8 – TV Tarobá Cascavel (Band). 10 demissões
9– CBN/Curitiba. 8 demissões
10 - Folha de Londrina. 7 demissões

Total: 156 profissionais
Total de demissões de todas as empresas no período: 287 demissões.
Demissômetro de Cascavel (2011 a 2013):
1 - CATVE - 13 demissões*
2 - Tarobá (Cvel/Foz) - 10 demissões
3 - RCK (Hoje/OParaná) - 5 demissões
4 - RPC Cvel - 4 demissões
5 - Sociedade Equatorial (Gazeta/CGN) - 3 demissões

*O número da CATVE pode ser maior, devido à falta de dados oficiais e à situação precária dos contratos de trabalho. Na região, faltam ainda informações sobre a RIC Oeste, CBN Cvel/Foz e Rede Massa Cascavel.

Por Regis Luís Cardoso (*Arte: Simon Taylor).