esqueci minha senha / primeiro acesso

ARTIGOS

Autor: Regis Luís Cardoso
17/04/2014

De Frente com Jornaldo: “Quanto vale a notícia?” – “Vale tudo!”

De Frente com Jornaldo: “Quanto vale a notícia?” – “Vale tudo!”

Olá meus bons... tudo na santa paz? Pois é, véspera de feriado, se preparando pra viajar (se é que já não viajou, não é?). E nós estamos aqui, em mais um De Frente com Jornaldo, o último do ano.


Primeiro gostaria de saber do nosso querido Jornaldo como ele está? Na semana passada, véspera do Churras dos Jornalistas, nosso comentarista não se sentiu bem aqui no programa.


E aí Jornaldo, tudo bem hoje?


Opa, tudo bem sim. Bem melhor.


Foi ao médico ver o que houve contigo?


Não fui. Mas já sei o que aconteceu.


Sério?


Não, nada sério.


Sério que você sabe o que aconteceu Jornaldo?


Sério.


E o que aconteceu afinal de contas?


Não aconteceu nada. Por isso estou aqui, não foi nada sério, já disse.


Sim Jornaldo. Só gostaria de saber o que houve contigo. O motivo de você ter tido aquele pequeno problema no último programa, só isso...


Na verdade foi stress. Uma junção de vários fatores externos que culminaram naquela crise.


Complicado. Mas agora está tudo certo? Pronto pra outra?


Está tudo certo. Estou aliviado também.


Sério? Bacana, podemos saber por quê?


Primeiro porque fui ao Churras e ao Torneio e me diverti bastante. Estava precisando. Esse dia a dia está me matando. Segundo que após o término do Torneio não precisarei ter que aturar vossa pessoa durante mais um ano...


Credo Jornaldo, mas o que é isso? Achava que éramos amigos...


De um em um ano podemos ser. Ok?


Tá, ok. Nem vou comentar.


Claro, quem comenta aqui sou eu. Você só enche linguiça.


Só? Então comente... comente sobre o Churras.. o Torneio... sobre o que quiser... fale aí Jornaldo... fale fale..


Tudo o que eu quiser?


Sim, tudo... tudo...


Ok... você quer que eu comece pelo Churras?


Ué, você não sabe tudo? Sempre sabe o que dizer e blá blá blá... então... fala logo... pare de encher linguiça...


Calma jovem. Cuidado com o stress ein... eu sei muito bem o que é isso!


Vai... anda logo...


Tá bom... vou começar falando do Torneio então...


Mas não era sobre o Churras?


Pare de me atrapalhar...


Então anda logo... vai... fala...


Tá bom... ok. Bom.. primeiro... começamos pelo começo.


Sério?


Não me interrompa.


Tá só enrolando...


Bom... não vou entrar no seu joguinho.


Não entre...


É... sabe que agora que falamos em joguinho...


Você falou joguinho...


TÁ... O QUE IMPORTA QUEM FALOU? – grito...


Não adianta ficar nervosinho...


Bom... não vou entrar no seu joguinho mesmo. E por falar em joguinho, que papelão foi à disputa do terceiro e quarto lugar ein? Não foi nem joguinho, aliás, não houve jogo! Foi W.O! O time da Confraria não foi, ou seja, eles não entraram no jogo, não entraram na brincadeira.


Tá, e daí?


E daí que o Sensacionalistas foi cedo lá para a Chácara do Sindijus e não teve partida. Resultado, Sensacionalistas em terceiro. Justo.


E a final do feminino?


Só isso? Não quer que eu fale mais do W.O?


Não... não vale dar ibope...


É... pode ser...


E então... e a final do feminino?


Ah... esse sim foi um jogão. Que disputa! Era lá e cá. Marcação forte em cima da Vanessa, craque do torneio. E olha... surtiu efeito. Mesmo assim, com o empate, o time da Bandnets levou o caneco. Título inédito! Parabéns pra elas! E também pra Dasjor Gazeta que fez uma grande partida. Qualquer resultado seria justo. Mas com o empate, pelo regulamento, as meninas da Bandnets comemoraram o título. Vale lembrar que teve uniforme novo na final, a equipe campeã caprichou no “modelito”. Uniforme todo preto... são as Black Blocks do futsal... ação direta... ataque e gol!


Algo mais sobre essa partida?


Sim. Como eu disse, a Vanessa foi bem marcada. Isso já mostra certa consciência tática nas partidas do feminino. Uma evolução, já que no futsal a marcação conta muito. É inegável a qualidade técnica da artilheira do feminino, mas marcar também exige técnica. Então, de certa forma, foi um jogo técnico, tanto no ataque, para a Bandnets, quanto na defesa, para a Gazeta. Para dar um ar mais justo, podemos dizer que ambas as equipes não abdicaram de atacar e nem de defender, foi um jogo equilibrado...


Falou falou e não disse nada...


Como é que é?


É o que você ouviu...


Não vou nem comentar.


Então finalizamos por aqui?


Não vou nem comentar o seu comentário. Que fique bem claro.


Ok. Então comente sobre a final do masculino, já que quer comentar...


Tá bom... a final do masculino foi o seguinte: jogo que desequilibrou, não os jogadores, mas a torcida. Teve torcedor que desferiu ofensas contra a arbitragem. Achei lastimável. Numa competição como esta, ficar na arquibancada xingando a árbitra? Que vergonha. Ainda mais se tratando de jornalista. Que fique aqui meu descontentamento. Algo bem deselegante. Voltando ao jogo... também foi um tanto quanto desequilibrado. O Catadão estava desfalcado e o Relevo, com um elenco superior, soube administrar bem a partida. Destaque, mais uma vez, para o jogador Kássio, que fez ótimo jogo, assim como já havia feito na semifinal.


E o artilheiro?


O Daniel estava contundido. Mesmo assim, fez um bom jogo também. A partida da semifinal deixou marcas!


Também... que jogo!


Sem desmerecer o Catadão, a final foi na semi. De qualquer forma, 7 a 5 para o Relevo, com o jogo bem controlado e vitória merecida. Resultado justo. Título justo. A equipe que teve o artilheiro e melhor jogador. Também coloco aqui uma revelação, que é o jogador Kássio, primeira participação e já levou o caneco. Parabéns ao time do Relevo e também ao time do Catadão, estreantes no torneio, que fizeram uma ótima final.


Mais algum parabéns?


Aff... você está intragável. Parece criança. Só falta ficar bravinho e ir embora.


Isso quem já fez foi você.


Você também.


Não... foi você.


Não... foi você.


Você...


Você...


Aaaa... tá bom Jornaldo. Nós... ok? Nós...


Ok.


Nós... nós de coletividade... de união...


É... aí entra a questão do Churras né...


Que Churras!


É... que Churras!


O que achou do Churras?


Ótimo. Nada a reclamar. E olha... tinha até café e doces! Lindo, lindo!


Gosta de doce?


Na década de 60 eu era mais chegado...


Jornaldo... estou falando dos doces dos patrocinadores! Da Jacquet...


A sim... claro. Uma delícia. O café! Sou fã de café. Então comi uma ótima costela, tomei umas geladas e depois fechei com chave de ouro! Café e doce. Precisa mais?


Teve brinde. Ganhou algum?


Não... não levei nada... e você, levou?


Aff... não Jornaldo, não...

Mas já levou?


Não, nunca. Bom, pare de encher linguiça! Olha só... este ano teve outra novidade. Duas bandas. Uma de pagode, Grupo Zuô, e rock and roll, Los Tétricos Detritos. Curtiu o som?


Foi legal, pra descontrair é sempre bacana som ao vivo.


Algo mais que gostaria de dizer?


Claro! Parabenizar o Sindijor por mais uma vez me ter como comentarista.


Aff...


Também ao Sindijor pela organização e pela iniciativa... Ah! Lembrei que esqueci de uma coisa!


Lembrou que esqueceu? Que beleza...


É... levei uns amigos jornalistas para o Churras... disse para eles que daria pra fazer a sindicalização lá no dia do torneio, mas acabou passando... esqueci...


Não tem problema Jornaldo, é só entrar no site e se sindicalizar. Nunca foi tão fácil se sindicalizar como é hoje em dia. O Sindijor deixou tudo mais fácil para os jornalistas...


Sério? É só entrar no site?


Sim... é só entrar no site, tem até um passo a passo lá... muito fácil!


Legal... dessa vez não vou esquecer... avisarei meus amigos.


Bom Jornaldo... apesar dos pesares eu também agradeço a sua participação, foi bacana mais uma vez te aturar... desculpe as brincadeiras e as discussões...


Tudo bem... nem todo mundo é perfeito...


Sei...


Alguns são mais outros menos... o importante e você se por no seu lugar...


Ok Jornaldo. Bom, o Sindijor também agradece a todos os jornalistas que participaram do Torneio, todos são vitoriosos. Também a Jacquet pelo patrocínio, como o Jornaldo já disse... estava tudo uma delícia. Não podemos esquecer da Spaipa e da WS Brazil, além da Uninter, Setcepar, Secretaria de Estado da Cultura de Curitiba, Elyane Fiuza, Bem Paraná, Frischmann Aisengart, Lycio Vellozo Ribas por nos brindar com seu livro “O Mundo das Copas”, André Luiz Domingues Molina que também nos brindou com “O Divã do Rock Brasileiro”, Clube Atlético Paranaense e Coritiba Foot Ball Club, todo esse pessoal enviou brindes que foram sorteados aos jornalistas. E, lógico, ao senhor churrasqueiro Valtamir Mezzomo e sua trupe, que mesmo na chuva, fizeram as coisas acontecerem normalmente.


Ufa... lembrei de um apresentador agora... aquele dos “merchã”...


Faz parte Jornaldo, faz parte...


É verdade.


Mais alguma coisa Jornaldo?


Algum diretor do Sindijor já chegou para você e falou quando cai o “faz me rir” na minha conta?


Hmmmm... bem lembrado Jornaldo, por falar em “faz me rir”, é bom o jornalista paranaense se ligar que o Sindijor está em campanha salarial, fique por dentro das notícias da negociação e lute!


É verdade, tem que lutar... mas e aí... já te falaram algo...


Não...


Entendo...


Quanto vale a notícia pra você Jornaldo?


Vale tudo. Não é nem muito nem mais ou menos... vale tudo!


Então jornalista, valoriza a notícia, se valorize, valoriza o jornalista, todos os jornalistas... não esqueça, fique por dentro da Campanha Salarial 2014 do Sindijor... até a próxima... abraço a todos...


Abraço a todos e um tapinhas nas minhas costas... “ah Jornaldo o que seria desse programa sem você”!


Aff... até a próxima...

Articulista: Regis Luís Cardoso
.